O Porco preto

Historicamente preservado na Península Ibérica, o porco preto é valorizado em todo o Mundo pela sua genuinidade plena. Em 27 a.c., o sudoeste da Península Ibérica foi dividido em duas zonas, e o bosque mediterrânico deu origem ao montado de azinho e sobro. 

Portugal e Espanha reúnem excelentes condições para a criação do Porco preto. A raça ibérica é descendente dos sus mediterraneus javali do sul, derivando do tronco ibérico ou românico.

Devido à sua genética e inexistência de cruzamentos com outras raças, regista maior capacidade de infiltração de gordura intramuscular. Assim se explicam as nervuras marmoreadas que dão à carne uma untuosidade e textura únicas, e um paladar e aroma inconfundíveis.

O Porco preto pasta em total liberdade no montado durante 18 a 24 meses, em regime extensivo. Anda cerca de 3 horas por dia, na busca de alimentos disponíveis (bolota e pasto).

Na época de montanheira (Novembro a Março) alimenta-se sobretudo de bolota, entre 7 a 10 Kg por dia representando um aumento de peso diário de 1 Kg, até alcançar 160 Kg.